| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

Relatório Final

Page history last edited by Mara Tavares 14 years ago

RASCUNHO

Estado do Rio Grande do Sul - Secretraria da Educação

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL NAÇÕES UNIDAS

Rua Manoel do Carmo, nº 100 - Bairro Nonoai CEP: 90830-340 Tel. 32662049

http://escolanusai.pbworks.com/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMPONENTES DO RELATÓRIO

 

O que deve ser contemplado no relatório final do Estágio Curricular? 

 

Prazo Final para entrega:

 

 

Impresso e encadernado

O texto deverá ser impresso e encadernado. A digitação deve observar: fonte arial ou times new roman, tamanho 12; parágrafo alinhamento justificado, especial primeira linha, entre linhas 1,5; configuração de página superior 3, inferior 2, esquerda 3, direita 2. Apresentado, em sua versão final, encadernado. Para todas as produções escritas, sugere-se a criação de títulos e subtítulos. (20 a 30 pgs)

 

Folha de rosto e dados de identificação da instituição de estágio a ser enviado pelo curso e preenchido pelo aluno.

Sumário

  1. Introdução

Contemple:

(a) Quem sou – apresente uma página descrevendo-se profissionalmente;

 

 

MARA ROSANE NOBLE TAVARES


Sou Graduanda do Curso de Pedagogia à Distância da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Professora de Informática Educativa do Ensino Fundamental da Rede Pública Estadual, em Porto Alegre.


 

IDENTIFICAÇÃO

Brasileira, Casada, 44 anos (13/04/1966)

Endereço: Travessa Escobar, 469/411. CEP.: 91.910-400

Camaquã – Porto Alegre – RS

Telefones: 5130247453 - 84375143

E-mail: megahipersuperbichado@gmail.com


OBJETIVOS

  •  Apresentar à Equipe docente do PEAD/UFRGS meus dados pessoais, profissionais e qualificações acadêmicas;
  •  Apresentar a Escola, turma e realidade escolhidas para realizar o Estágio;
  •  Identificar conteúdos e tecnologias/arquiteturas escolhidas para que os alunos desenvolvam competências determinadas.

FORMAÇÃO

  • Habilitação ao Magistério, com aproveitamento de Estudos, cf. Parecer 420/85 - CEE e art. 68 do Regimento Escolar.

Conclusão/Carga Horária: Agosto/1997- 1.416 horas

Colégio Nossa Sra. do Bom Conselho - E. 1° e 2° Graus.

 

  • Projeto de Extensão Universitária "Faculdade de Educação Aberta" - Ensino de Estudos Sociais: Conteúdo e Metodologia [EDU 2418].

Conclusão/Carga Horária: Dezembro/2000 - 45 horas

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação/Departamento de Estudos Especializados

 

  • Disseminadores de Educação Fiscal - Modalidade à Distância

Conclusão/Carga Horária: Julho/2005 - 80 horas

Escola de Administração Fazendária - ESAF / Diretoria de Educação - DIRED

 

  • Extensão Formação de Professores da Rede Pública para uso das TICs em Sala de Aula

Conclusão/Carga Horária: Setembro/2006 - 40 horas

Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - UERGS

 

  • Extensão Universitária - Atividades de Astronomia para Professores de Ensino Básico

Conclusão/Carga Horária: Janeiro/2008 - 26 horas

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Pró-Reitoria de Extensão - Departamento de Astronomia/Instituto de Física

 

  • Curso de Capacitação de Multiplicadores da Educação para o Trânsito

Conclusão/Carga Horária: Novembro/2008 - 24 horas

Empresa Pública de Transporte e Circulação - EPTC

 

  • Planejamento Pedagógico Hipermididático à Distância

Conclusão/Carga Horária: Dezembro/2008 - 30 horas

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Pró-Reitoria de Extensão

Departamento de Estudos Especializados/Faculdade de Educação

 

  • Professional Development on How to Build a Secure Interactive Wiki - PBworks Summer Camp

Conclusão/Carga Horária: Julho/2009 - 25 horas

PBWORKS

 

  • Oficina de Vídeo

Comissão Organizadora da XVIII Feira de Iniciação Científica - Categoria UERGSWeb

Conclusão/Carga Horária: Setembro/09 - 12 horas

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Pró-Reitoria de Pesquisa Universitária do Rio Grande do Sul

 

  • Licenciatura em Pedagogia - Modalidade à Distância

Em Curso desde Abril/2007

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - PEAD/UFRGS


EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

  • E. E. E. F. Visconde do Rio Grande

Estágio Docente 4a Série Ensino Fundamental

Período: Março a Julho/1997

 

  • Posse no Plano de Carreira do Magistério Público do RS - vínculo 2479753/1

Ingresso: 06/07/2000 - Em Exercício

 

E. E. E. F. Nações Unidas

- 3a Série do Ensino Fundamental de 8 Anos

Período: Julho/2000 a Dezembro/2008

- 3o Ano do Ensino Fundamental de 9 Anos

Período: Fevereiro/2008 a Março/2010

- Laboratório de Informática Educativa

Período: Março/2010



  • Posse no Plano de Carreira do Magistério Público do RS - Vínculo 2479753/2

Ingresso: 03/04/2002 - Em Exercício

 

E. E. E. F. Simões Lopes Neto

- 3a Série do Ensino Fundamental de 8 Anos

Período: Abril/2002 a Fevereiro/2004

 

E. E. E. F. Visconde do Rio Grande

- 4a Série do Ensino Fundamental de 8 Anos

Período: Março/2004 a Fevereiro/2006

 

E. E. E. F. Nações Unidas

- Laboratório de Informática Educativa

Período: Março/2006 - Em Exercício

 

OFICINAS

- Realização de Oficina Literária de Informática com a Comunidade

Apresentação dos Editores de Texto e imagem, recursos para a produção de histórias ilustradas.

 

17/05/2008 - 3 horas

 

- Realização da Oficina de Vídeo-Sensibilização para o uso das Tecnologias e uso do CD Educacional RIVED com Professores

Sensibilização para o uso da Tecnologia em Sala de Aula; metodologia para planejamento de aulas com vídeo; apresentação e uso do CD RIVED como ferramenta Didática pelas disciplinas.

E. E. E. F. Nações Unidas

25/07/2008 - 6 horas

 

- Realização da Oficina Uso de Ferramentas Tecnológicas para Pais e Alunos

Apresentação do PBWorks da Escola e exploração de seus recursos e possibilidades Educacionais.

E. E. E. F. Nações Unidas

16/05/2009 - 3 horas

 

- Realização da Palestra-Oficina Tecnologia e Aprendizagem para Professores

Apresentação do PBWorks da Escola e exploração de seus recursos e possibilidades Educacionais - Planejamento e Aplicação nas disciplinas.

E. E. E. F. Nações Unidas

23 e 24/07/2009 - 12 horas

 

- Realização da Oficina Redes Sociais com os Alunos

Utilização de recursos para interação social e comunicação entre Professores e Alunos - MSN; Chat - Chantago; Bloco de Notas Online; Tira de Recados; Orkut e Facebook.

E. E. E. F. Nações Unidas

05/12/2009 - 6 horas (manhã e tarde)

 


QUALIFICAÇÕES

  • Micro-informática, Iniciação à Área; MS-DOS; Computação Gráfica - Conceitos e Aplicação

Conclusão/Carga Horária: Julho a Setembro/1998 - 45 HORAS

CSP SENAC INFORMÁTICA - Administração Regional - RS

 

  • Leitura, escrita e compreensão excelentes em Espanhol

 

  • Leitura, escrita e compreensão medianas em Inglês

 


PARTICIPAÇÕES

  • XVIII Feira de Iniciação Científica – FIC/UFRGSWeb 2009

Trabalho Apresentado: Palestra- Oficina Tecnologia e Aprendizagem

Orientador: Luciane Corte Real

Período: 19 a 23 de Outubro/2009

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - PROSPEQ

Acesso em: http://escolanusai.pbworks.com/Palestra-Oficina ou http://ufrgsweb.ufrgs.br/node/533

 


PREMIAÇÕES

  • Prêmio Professor que Faz a Diferença

Conjunto dos projetos realizados no ano de 2006.1/2 e 2007.1 - 17° Lugar

Dezembro/2007

Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Sul

 

 

  • II Prêmio de Educação Para o Trânsito

Projeto: http://educacaotransitoturma32ano2008.pbworks.com/ - 1° Lugar

Outubro/2009

Empresa Pública de Transporte e Circulação – EPTC


 

(b) Descreva a escola e os alunos com base no que você já fez no seu wiki do estágio.

Equipe Diretiva:

Professoras Iara Maria Teixeira - Diretora

          Verenilce Severiano Mancio - Vice/Manhã

          Vania Cristina Moraes da Cunha - Vice/Tarde

Supervisão Escolar:

Professoras Ana Lúcia Hagemann

          Vania Cristina Moraes da Cunha

Orientação Escolar:

Professora Horinha Schaun


DESCRIÇÃO, REALIDADE E ENTORNO

A Escola possui ensino fundamental completo de 8 anos e desde 2007 está implantando o ensino fundamental de 9 anos, um por ano, assim em 2007, 1º ano; 2008, 2º ano; 2009, 3º ano e 2010 4º ano.

Localiza-se no Bairro Nonoai, zona sul de Porto Alegre, no limite entre duas situações sócio-econômicas distintas, uma região de classe média, Parque Santa Anita, e uma região de classe baixa, Vila Tronco e Cantão, cuja principal característica física de organização do espaço são as favelas (Grande Cruzeiro).

 

Atende, principalmente, os alunos provenientes da segunda região com situação sócio-econômica baixa. Porém, a comunidade é bem organizada, possuindo uma associação comunitária bem forte. A comunidade é atendida pelo Conselho Tutelar da Microregião 5, pelo SASE (Serviço de Apoio Sócio Educativo), por creche comunitária e outra municipal, CTG comunitário e por inúmeros projetos sócio-educativos desenvolvidos pelas escolas periféricas (Martin Aranha, Piauí e Nações Unidas), entre outros serviços como os de saúde, posto de saúde  Cachoeira e o "Postinho" dentro da Escola Piauí. São atendidos na Escola um total de 496 alunos, com idades entre 6 e 18 anos, em dois turnos, manhã (7h40/7h45 a 12h05/11h45) e tarde (13h15 a 17h15/17h40). 

 

Quanto aos projetos realizados pela nossa escola, tivemos até o ano de 2008 o projeto Unidança, coordenado pela professora Luciane Burgos e os projetos que continuam em andamento para atender a comunidade em turno inverso, como o Projeto da Banda Escolar, sob responsabilidade do Estudante de Música Diego Ramirez; Projeto Mais Educação sob coordenação da professora Patrícia Perello e o Projeto do Laboratório de Informática Educativa, sob minha coordenação (professora Mara Tavares).

 

Possui um quadro completo, com 27 professores, para atender todas as disciplinas das séries finais e iniciais, e 8 funcionários. Desenvolve o atendimento em 7 salas ambientes, sendo uma sala para cada disciplina [séries finais] e uma sala por turma (5 salas) nas séries iniciais, nos dois turnos; possui ainda, salas apropriadas para Vídeo, Biblioteca, Auditório, Laboratório de Informática, Refeitório, SSE, SOE, Professores, Secretaria, Dirieção, Ed. Física, Grêmio Estudantil, Monitoria e Xerox. A unidade Escolar possui estrutura física adequada e bastante extensa, seu pátio conta com quase 2 hectares de área.

 

Em frente a Escola, pela rua Coelho da Costa, há uma imensa área verde, com pracinha, campo de futebol e pista para cooper, usada pela comunidade como área de lazer e encontro. Há inúmeros minimercados e padarias, uma agropecuária com lan house na rua atrás da escola e inúmeras atividades econômicas informais.

 

A Escola promove eventos com oficinas, serviços sociais do SESI, palestras e jogos, que são muito apreciados pela comunidade, tornando-se momentos de contato únicos entre a escola e algumas famílias; além das tradicionais Festas, Junina e de Aniversário da Escola.

  

A Escola organiza suas Reuniões Pedagógicas Gerais quinzenalmente, as Reuniões de Docência acontecem semanamelmente, ambas fora do horário escolar e a Jornada Pedagógica acontece na primeira semana de Recesso Escolar discente, conforme calendário escolar aprovado pela comunidade. calendario-2010.doc

 

Nossa Escola possui Regimento Escolar Elaborado e Aprovado em 2006, com revisão em 2008, onde consta sua Filosofia; Fins; Objetivos; Organização do currículo, dos Tempos, Espaços e Projetos; Direitos e Responsabilidades de todos os atores sociais; Avaliação, etc. Nosso Plano Político Pedagógico é acrescido anualmente dos resultados da Avaliação Geral, a fim de que se faça uma avaliação do desempenho da escola.

 

Proposta Pedagógica da Escola

A escola adota a proposta pedagógica Libertadora e Construtivista, baseada nas teorias Sócio-interativa de Vigotisky e Construtivista, conforme os estudos de Piaget, Ferreiro e Teberosky, traduzidas em sua filosofia e finalidade:

 

Filosofia:

Proporcionar, através do processo ensino-aprendizagem, a formação integral do indivíduo, enfatizando valores como responsabilidade, solidariedade, comprometimento e consciência crítica, dentro de um clima de liberdade onde, utilizando vivências e experiências, o aluno possa ser um agente de transformação, interagindo no meio social e político na busca de sua autorealização e do exercício consciente de sua cidadania.

 

Fins:

A Escola tem por finalidade:

  • buscar o desenvolvimento do educando, formando sujeitos críticos e transformadores da realidade, através de sua interação no meio social e político;
  • desenvolver os valores de justiça, integridade, respeito, confiança, participação, responsabilidade, comprometimento e esperança;
  • preparar para exercer a cidadania, buscando a autorealização;
  • oportunizar conhecimentos universais indispensáveis para a construção de novos conhecimentos, para a interação social e para as mudanças que rapidamente ocorrem na sociedade;
  • desenvolver habilidades e competências que propiciem condições para o educando continuar seus estudos ou inserí-lo no mundo do trabalho.

 

Sistema de Avaliação

A avaliação caracteriza-se por um processo contínuo, cumulativo e participativo, envolvendo todos os segmentos da comunidade escolar.

A avaliação abrange dois focos distintos, específicos e intimamente relacionados:

  • Desempenho da Escola, em relação aos seus objetivos e metas;
  • E, rendimento Escolar dos Alunos.

(...)

Formas de Avaliação:

A verificação do rendimento escolar dá-se por meio de diversos instrumentos e através da observação sistemática por parte do professor, realizada ao longo do ano letivo e ao final do mesmo, analisando dados coletados sobre o desempenho do aluno.

 

O resultado da avaliação do aluno, é expresso através de parecer descritivo do 1º ano ao 4º ano. A partir da 4ª série (5º ano) é expresso através de notas numa escala de zero (0) a cem (100), tendo o primeiro trimestre o valor máximo de vinte (20) pontos, o segundo trimestre trinta (30) pontos e o terceiro trimestre cinquenta (50) pontos. Para obter o resultado final somam-se os pontos obtidos pelo aluno nos três trimestres.

 

Considera-se aprovado ao final do período letivo o aluno que atingir no mínimo cinquenta (50) pontos.

 

Fixação dos Critérios de Avaliação:

Os critérios de avaliação são construídos, anualmente, pelos alunos e professores, e disciplinados no Plano Global.

Considera-se aprovado ao final do ano letivo o aluno que demonstre superação de 50% dos objetivos propostos. (...)

Realizarei meu Estágio no Laboratório de Informática Educativa da E. E. E. F. Nações Unidas no período de 12 de abril a 11 de junho de 2010, espaço em que trabalho desde 2006 desenvolvendo projetos de aprendizagem em conformidade com a proposta pedagógica da escola, o referencial teórico do curso de Pedagogia à Distância, os Parâmetros Curriculares Nacionais e os Referenciais Curriculares Estaduais.


 

Parecer do Espaço Físico

O Laboratório de Informática [SAI - Sala Ambiente de Informática] possui mobiliário e infraestrutura adequados ao ambiente disciplinar a que se destina; localiza-se à esquerda da entrada do prédio escolar; é um espaço grande, com aproximadamente 50 m² e equipado com 19 maquinas e periféricos necessários à realização das tarefas educativas em seu espaço, possui conexão a cabo para a Internet desde outubro de 2008, para atender todas as séries/anos.

 

O atendimento, até 2009 era feito pela manhã para os dois turnos, sendo o horário fixo para todas as turmas de séries iniciais e por agendamento para as séries finais, a partir de abril de 2010, o atendimento acontecerá em seus próprios turnos, manhã e tarde. Nesse ano, também, o Laboratório de Informática atenderá por agendamento, no turno da manhã, ao aluno cadeirante (EPNE - 5a série).

 

O Laboratório é um espaço que comporta turmas de 35 alunos, 2 alunos por computador [34] e 1 aluno com necessidades especiais, além dos professores. Possui 19 máquinas em funcionamento, 1 com WIN98, 8 com WINXP e 10 com Linux Educacional 2.0 [há mais 4 máquinas, 1 com WIN98 e 3 com WINXP em manutenção]; 2 impressoras em funcionamento e um scaner.

 

O trabalho na Informática, está previsto no Regimento Escolar da Instituição, sendo sua elaboração revisada no ano de 2008 pelo conjunto de professores, ele é desenvolvido em conjunto e acompanhado do professor titular da turma ou responsável pela disciplina. Além dos conteúdos planejados pelos professores responsáveis pelas turmas, o Laboratório desenvolve projetos de aprendizagem com as turmas, de maneira autônoma ou em parceria com as disciplinas, sempre com enfoque interdisciplinar.

 

O trabalho desenvolvido na SAI é incentivado e estimulado pela Equipe Diretiva da Escola, que não poupa esforços em adquirir recursos e promover a construção de conhecimentos para o uso das Novas Tecnologias e o emprego das novas Arquiteturas Pedagógicas na aprendizagem dos seus alunos, formação de seus professores e em sua rotina escolar.

Parecer das Turmas

Todas as turmas têm como principais características o nível sócio-econômico baixo; nossos alunos, em sua grande maioria, são oriundos do entorno da Escola (Vila Tronco - "Cantão" e imediações da Vila Ofanatrófio - Grande Cruzeiro); há heterogeneidade faixetária; a maioria pertence a etnia negra; apresentam desorganização familiar, em sua grande maioria devido à drogadição; total ausência de algumas famílias, outras são bem presentes; são turmas barulhentas, mas sem incidentes de indisciplina, pelo menos, não no Laboratório de Informática.

Sala ambiente de Informática – SAI  

 

http://escolanusai.pbworks.com/SAI-2006

http://escolanusai.pbworks.com/SAI-2007

http://escolanusai.pbworks.com/SAI-2008

http://escolanusai.pbworks.com/SAI-2009

 

As aulas serão planejadas e desenvolvidas com todos os recursos do Laboratório de Informática:

  • Infra-estrutura e acomodações;
  • 19 Computadores e periféricos;
  • Data-show, câmera fotográfica e filmadora;
  • Internet, Banda larga de 56 Mbps;

 

Os conteúdos serão abordados através do uso de softwares e plataformas como:

  • Softwares de Desenho, Pintura e Puzzles como o Simple Paint, o Tux Paint, Tia Tânia e Leonardo Da Vinci, etc.
  • Softwares de Alfabetização como o Coelho Sabido (Maternal, Pré, Jardim e 1ª série); Alfacel e Typing Tutor, etc.
  • Softwares de Lógica e Estratégia para os bem pequenos, como bingo, dominó, garrafas, balança, jogo dos erros, memória, Logo, 3Clics e outros.
  • Softwares de Astronomia Stellarium (Planetário), Simuladores do Sistema Solar e dos Eclipses (1ª a 4ª séries).
  • Softwares de Geografia como o Estbra e o VirtualMet (que mostram os aspectos políticos, demográficos, naturais e meteorológicos de cada região do Brasil – 1ª a 4ª série).
  • Softwares e Sites de Pesquisa como a Encarta, a Wikipedia, o Google, etc.
  • Editores de Textos e Imagens;
  • Planilhas e Tabelas Eletrônicas;
  • Bancos de Dados;
  •  Slaids (PPS) e Vídeos;
  • Enciclopédias e Dicionários Eletrônicos e Online;  
  • Jogos Pedagógicos Online - Páginas [1]   [2]   [3];

Blogs, twitters, Sites Sociais e o PBWorks, etc.


Justificativa

O mundo atual exige a atuação de pessoas conscientes e conectadas com as últimas atualizações da sociedade a fim de exercer conscientemente sua cidadania. Uma educação de qualidade visa à construção de competências e habilidades para que o sujeitos, inseridos no mundo, possam atuar de forma cidadã, contribuindo para a qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável de sua comunidade.

 

Para desenvolver efetivamente uma educação cidadã e de qualidade, não basta instalar laboratórios de informática nas escolas e utilizá-los como meras ferramentas tradicionais, iguais as usadas em sala de aula. É preciso desenvolver uma nova arquitetura pedagógica, valorizando tempos e espaços virtuais, para o uso desse instrumental, transformando o Laboratório de Informática em um espaço interdisciplinar e de apoio ao desenvolvimento das habilidades e competências exigidas pelo mundo atual.

 

Os softwares e recursos da Internet, apontados acima,  são desenvolvidas em nosso Laboratório de Informática em projetos fundamentados na Teoria da Flexibilidade Cognitiva (TFC) que, à semelhança de outras teorias baseadas nas idéias construtivistas, não se preocupa apenas com a mera aquisição de conhecimentos, mas com sua construção de maneira sócio-interativa (VYGOTSKY), construindo com os alunos uma nova Arquitetura Pedagógica em que o prazer e o hábito de aprender a aprender através da resolução de problemas com base em conhecimentos pré-existentes e em conhecimentos que não podem ser construídos espontaneamente, por fazerem parte do patrimônio da humanidade e terem se desenvolvido dentro do meio científico, vão sendo construídos, para com isso, desenvolverem a flexibilidade cognitiva e resolvê-los através de atividades orientadas. Nas novas arquiteturas pedagógicas, conceitos científicos podem ser construídos, pois as atividades escolhidas levam os alunos a conclusões muito próximas das postuladas cientificamente, como é o caso dos conceitos matemáticos. 

 

Outra razão para utilizar as novas arquiteturas pedagógicas no planejamento de projetos de aprendizagem repousa nas teorias Construtivista (PIAGET) e do Acoplamento Estrutural (MATURANA & VARELA), que postulam a importância de se aprender na convivência e troca com o outro e com o meio, para a transformação do sujeito e do próprio meio, tomando nossa influência sobre os objetos e dos objetos sobre nós (computadores), como indispensável para a compreensão e entendimento do próprio indivíduo e do mundo. Elementos importantes para aprendizagens significativas, duradouras e para o desenvolvimento da alteridade.

 

Finalizando, a aprendizagem é significativa no momento em que se percebe a utilidade e aplicação daquilo que se aprende. Em Informática Educativa essa afirmação ganha um duplo significado, na medida em que o aluno aprende interagindo com a máquina utiliza os novos conhecimentos para fazer intervenções cada vez mais complexas. A aprendizagem em Informática Educativa se reveste da intencionalidade de provocar na criança o processo de aquisição e interpretação dos signos e da própria realidade e usá-lo realimentando o processo de investigação e experimentação que o uso do computador exige (PAPERT, 1994). Para essa finalidade novos softwares e sites são integrados à prática da SAI a cada aula, com a intencionalidade de contribuir com o processo de construção do conhecimento.


 

  1. Síntese do projeto de estágio

Apresente uma visão geral do projeto de estágio efetivamente desenvolvido, contextualizando a/s temática/s, projeto/s e selecionando as situações relevantes para o relato, analisando-as, problematizando a instituição, a sala de aula e a prática pedagógica desenvolvida. Coloque em apêndice o Projeto do Estágio original.

Projeto de Estágio

Professora Supervisora: Luciane Corte Real

Tutora: Cristiane Todeschini

Aluna: Mara Rosane Noble Tavares 

PÚBLICO ALVO: 1º, 2º, 3º, 4º e 4ªs séries do Ensino Fundamental

DISCIPLINA: Estágio Docente no Laboratório de Informática

PERÍODO: de 12/04 a 11/06/2010

 

CARGA HORÁRIA: 180 horas


Introdução

Apresentação da proposta de trabalho para o Estágio Docente da Graduação em Pedagogia – PEAD/UFRGS 2010/01, no campo de estágio do Laboratório de Informática com os anos/séries iniciais. Proposta em concordância com os Referenciais Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia, os Referenciais Curriculares Lições do Rio Grande e o referencial teórico do curso, que apontam para a necessidade de trabalhar interdisciplinarmente com o uso das Novas Tecnologias no Ensino Fundamental.

Para desenvolver efetivamente uma educação cidadã e de qualidade, não basta instalar laboratórios de informática nas escolas e utilizar o computador como substitutivo das ferramentas tradicionais usadas pelo professor em sala de aula. É preciso desenvolver um espaço e um tempo para as novas arquiteturas pedagógicas, em que o Laboratório de Informática seja um espaço interdisciplinar, seu professor responsável atue como um servidor de apoio, administrando o hardware e disponibilizando multimídias e recursos hipermididáticos para um trabalho em parceria com seus pares nos diferentes campos do saber.


Princípios Orientadores

O mundo evolui em uma velocidade vertiginosa, razão de a tecnologia ser cada vez mais presente e necessária na vida das pessoas. Uma educação de qualidade visa à construção de competências e habilidades, para que o sujeito possa atuar de forma cidadã, contribuindo para a qualidade de vida, pessoal e da comunidade a qual pertence. Para isso, a aplicação das Arquiteturas Pedagógicas desenvolvidas em projetos de aprendizagem, fundamentados na Teoria da Flexibilidade Cognitiva (SPIRO) que, à semelhança de outras teorias de aprendizagem baseadas no Construtivismo de Jean Piaget e no Acoplamento Estrutural (MATURANA e VARELA), não se preocupa apenas com a mera aquisição de conhecimentos, mas com sua construção de maneira sócio-interativa (VYGOTSKY). 

Essa teoria pretende que os alunos sejam capazes de resolver problemas com base em conhecimentos pré-existentese, com isso, desenvolvam a flexibilidade cognitiva para resolvê-los. Alguns conhecimentos não podem ser construídos espontaneamente, por fazerem parte do patrimônio da humanidade e terem se desenvolvido dentro do meio científico. Porém, através de atividades orientadas nessas arquiteturas, esses conceitos podem ser construídos, pois levam a conclusões muito próximas das postuladas cientificamente, como é o caso dos conceitos matemáticos. 

Outra razão para utilizar as novas arquiteturas pedagógicas no planejamento de projetos de aprendizagem repousa nas teorias Construtivista e do Acoplamento Estrutural, que postulam a importância de se aprender na convivência e troca com o outro e com o meio, para nossa transformação e do próprio meio. Teorias que apontam a nossa influência sobre os objetos, e dos objetos sobre nós (no caso os computadores e também das interações com os pares), como indispensável para o crescimento, a compreensão e entendimento do mundo, elementos importantes para aprendizagens significativas e para o desenvolvimento da alteridade.


Justificativa

A aprendizagem se faz significativa, no momento em que a criança percebe a utilidade e aplicação daquilo que aprende. Em Informática Educativa essa significação ganha um duplo significado, na medida em que, o aluno aprende interagindo com a máquina e utilizando esses novos conhecimentos para fazer intervenções cada vez mais complexas A aprendizagem em Informática Educativa se reveste da intencionalidade de provocar na criança o processo de aquisição e interpretação da língua escrita e da realidade e usá-lo realimentando o processo de investigação e experimentação que o uso do computador exige (PAPERT, 1994).

Para essa finalidade, softwares e sites são integrados à prática da SAI, com a intencionalidade de contribuir com o processo de Alfabetização e letramento, dentro dos objetivos previamente traçados pelo plano de aula ou projeto de aprendizagem desenvolvido pelo professor.


Objetivo Geral

Proporcionar aos professores e alunos da Escola o uso das novas tecnologias em uma Arquitetura Pedagógica que permita mesclar conhecimentos teóricos com práticos, para constituir novas e significativas aprendizagens por meio de projetos propostos pelos professores ou pelos próprios alunos.


Objetivos Específicos

  • Identificar, interpretar e solucionar situações-problema relacionadas a fenômenos sociais, culturais e econômicos dentro do grupo;
  • Construir os conceitos sociais, culturais e econômicos, que se aproximem dos conceitos acadêmicos e científicos;
  • Relacionar conceitos matemáticos com informações do dia-a-dia, fazendo conexão entre a vivência prática e o aspecto teórico;
  • Oportunizar aos alunos tornarem-se sujeitos ativos de sua aprendizagem;
  • Construir gráficos, tabelas, enquetes e compreender a importância da tabulação de dados para os resultados de uma pesquisa;
  • Compreender e utilizar gráficos que expressem elementos e quantidades para apresentar resultados estatísticos;
  • Ler e interpretar diferentes tipos de textos, símbolos e situações apresentadas pelo computador durante a realização das atividades;
  • Enriquecer os relacionamentos e elevar a auto-estima através da interação nos grupos; 

Objetivos Pessoais

  • Qualificar minha prática como professora ampliando suas possibilidades dentro do campo tecnológico, através dos Referenciais da Pedagogia;
  • Construir junto com meus alunos e colegas de trabalho uma cultura de uso das arquiteturas pedagógicas;
  • Proporcionar momentos de exploração do computador, como alternativa para a construção de aprendizagens, para alunos e professores;
  • Solidificar os laços de integração entre o trabalho desenvolvido pelos professores em sala de aula e a prática na Informática Educativa;  

Desenvolvimento

O uso do Laboratório de Informática dar-se-á mediante o desenvolvimento de planejamentos e/ou projetos, cuja temática será fornecida pelo Professor responsável da turma, o seu desenvolvimento deverá dar-se em um tempo determinado, e não sendo restrito ao Laboratório. Caso não haja plano ou projeto para a turma, serão desenvolvidos no LABIN os planejamentos e projetos existentes e permanentes, os desenvolvidos especificamente para/pela turma, projetos desenvolvidos transversalmente para a Escola no período letivo e/ou os propostos como desdobramento de atividades dentro da própria prática do Laboratório. 


Integração Curricular com a Informática

Comunicação e Expressão (Línguas Portuguesa/Arte/Música/Teatro/Ed. Física) 

Estudos da Natureza (Ciências);

Estudos Sociais (História/Geografia)

Matemática;


 

Conteúdos

Os conteúdos serão determinados de acordo:

Com o planejamento de cada ano/série/professor;

Com dúvidas e certezas dos alunos para a construção de projetos de aprendizagem.


Avaliação

Será realizada no decorrer das aulas, no desenvolvimento dos projetos, através de questionamentos e ressignificações, dos resultados alcançados no desenvolvimento das ações, das retomadas de ações e exposição dos resultados. A avaliação será baseada no objeto de aprendizagem criado pelos grupos, duplas ou individualmente, ou no resultado das ações realizadas pelos alunos, respeitando ritmos e processos individuais, e que atendam aos objetivos planejados pelo professor ou pelos Projetos do Laboratório de Informática. Considerando como indicativos do desenvolvimento de competências os seis campos abaixo:

1. Integração

Manifesta integração laboratório - colegas - professor

É assíduo à aula

Concentra-se em aula

Participa com interesse e atenção

Realiza as atividades propostas


2. Hábitos e atitudes nas aulas             

É cooperativo

Respeita as regras da SAI

Demonstra afetividade

Utiliza com cuidado o computador

Espera sua vez de falar


3. Habilidades Específicas       

Coordena o uso do mouse ao clicar

Coordena o uso do mouse ao arrastar

Coordena o uso do mouse ao clicar e arrastar

Explora os Programas (Softwares)

Explora Sites

Liga e desliga o computador

Interage com o computador de forma independente

Executa as atividades com habilidade tátil, auditiva e visual

4. Processo de Pensamento          

 Estabelece associações

Percebe e descreve características (objetos e pessoas)

Identifica, compreende e executa atividades propostas

Exercita o raciocínio lógico

Resolve problemas de forma independente

Resolve problemas em conjunto

Socializa o conhecimento construído

5. Percepções                                       

Percebe as diferenças entre cores, figuras e diferentes signos

Percebe os diferentes sons

Localiza-se no espaço e no tempo

Segue direções


6. Conteúdos                                              

Identifica as cores, figuras, signos

Identifica formas geométricas

Identifica números e quantidades

Resolve operações

Reconhece as letras do Alfabeto e sua escrita

Lê e Interpreta

Reconhece e compreende os temas trabalhados

Elabora conceitos sobre os temas trabalhados

Soluciona Problemas


7. Linguagem 

Expressa seu pensamento na fala, na escrita e imagens telemáticas com coesão e coerência.


  1. Relato reflexivo das práticas pedagógicas

 

a)    Descrição comentada das aulas. O que você pretendeu fazer (os seus objetivos) foi alcançado? O que aconteceu em aula? Quais foram as decisões mais importantes e porque elas foram necessária? Quais os autores, as ideias ou as aprendizagens nas Interdisciplinas foram lembrados no momento em que trabalhava no estágio? Por que tais ideias, autores ou aprendizagens foram importantes? No que eles ajudaram a pensar ou a fazer melhor o estágio?

b)    Relato-síntese dos projetos/atividades/temáticas: considere o seu projeto de estágio, propostas, objetivos de aprendizagem com relação aos alunos e a sua própria aprendizagem para desenvolver um relato-síntese dos projetos/atividades/temáticas desenvolvidas no estágio; as modificações e replanejamentos das propostas e objetivos de aprendizagem, enfatizando as construções realizadas durante o processo. Para esse relato é importante:

  1. Retomar as reflexões semanais e em cada semana destaque uma atividade (situação) relevante e avaliar se os objetivos de aprendizagem foram alcançados, apresentando evidências (trabalhos de alunos escaneados, fotos, documentos, observações de colegas, etc) e justificando com apoio teórico (autores);
  2.  Neste processo teórico-reflexivo, o/a estagiário/a deve justificar e fundamentar teoricamente sua ação docente no período sem perder de vista os interlocutores reais de seu texto: seus alunos. Assim, sensibilidade, clareza, coerência e profundidade na abordagem dos temas são requisitos essenciais.

 

  1. Proposta de Investigação para o TCC: Semestre

Durante o estágio qual foi a questão (ou questões) mais importante que surgiu para você como professora (sobre a aprendizagem dos alunos, sobre as Arquiteturas Pedagógicas, sobre os Projetos de Aprendizagem, sobre a atuação dos professores, sobre inovação pedagógica, etc.?). Destaque uma ou mais questão para ser investigada, trabalhada, analisada do ponto de vista teórico no próximo semestre. Veja a orientação sobre o TCC que se encontra no pbworks do polo.

  1. Considerações Finais

Apresente questionamentos, reflexões, propósitos, incertezas, compõem este momento do relatório, em que é importante uma revisão de si mesmo/a em todo o contexto da prática pedagógica e da situação de estágio supervisionado.

  1. Meu sonho para o futuro

Você pode trazer um pensamento, uma ideia, uma frase, uma imagem que sintetize um sonho.

  1. Referências

 

ASSIS, Rodrigo Lemos de. FACILITANDO A PERCEPÇÃO EM AMBIENTES

VIRTUAIS DE APRENDIZADO ATRAVÉS DA ABORDAGEM GROUPWARE – Tese de Mestrado - Departamento de Informática da PUC-Rio. Orientador: Hugo Fuks – janeiro de 2000.

 

CARNEIRO, Pedro Paulo. ENTREVISTA: Conversando sobre Televisão e Interatividade com Pedro Paulo Carneiro. Revista Mídia e Educação.

 

DEMO, Pedro. Professor Titular da Universidade de Brasília. Doutor em Sociologia pela Universitat Des Saarlandes - Alemanha. Pós-doutorado na UCLA - Los Angeles, EUA - PALESTRA - A Pesquisa e a Produção no Contexto do Setor Público  I Seminário de Políticas Públicas no PR - ABERTURA,

CELEPAR Informática do Paraná. Paraná, 2007.

 

ESTRÁZULAS, Mônica, Interação e Cooperação em Lista de Discussão, 1999.

 

FAGUNDES, L. da C. & MAÇADA, D. L. & SATO, L. S. Aprendizes do futuro: as inovações começaram!. Brasília: Estação Palavra, 2000.

 

FALCÃO, Reginaldo Araújo. USO DE AMBIENTES VIRTUAIS ATRAVÉS DA INTERNET NO ENSINO A DISTÂNCIA: APLICAÇÃO NO CEFET/RN - Dissertação de Mestrado. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA, PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Prof. Ricardo Miranda Barcia, Dr. Coordenador do Curso. Florianópolis, 2001.

 

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 54p. em: http://livrosdamara.pbwiki.com/f/pedagogia_autonomia.pdf

 

____________. Pedagogia da Indignação: Cartas Pedagógicas e Outros Escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2000. 63p. em: http://livrosdamara.pbwiki.com/f/Pedagogia_da_Indignacao.pdf

 

____________. Pedagogia do oprimido, 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. 107p. em: http://livrosdamara.pbwiki.com/f/Pedagogia%20do%20Oprimido%20-%20Paulo%20Freire.pdf

 

____________. SHOR, Ira. Medo e Ousadia - O Cotidiano do Professor. Trad. Adriana Lopez. Rev. Lólio Lourenço de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986. 116p. em: http://livrosdamara.pbwiki.com/f/paulo%20freire%20e%20ira%20shor%20-%20medo%20e%20ousadia.pdf

 

____________. Educação e Mudança. Trad. Moacir Gadotti e Lílian Lopes Martins. 12ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 46p. em: http://livrosdamara.pbwiki.com/f/Paulo%20Freire_Educa%C3%A7%C3%A3o%20e%20Mudan%C3%A7a.pdf

 

____________. Conscientização. Teoria e Prática da Libertação - Uma Introdução ao Pensamento de Paulo Freire. Trad. Kátia de Mello e Silva, Rev. Benedito Eliseu Leite Cintra. são Paulo: Cortez e Moraes, 1979. 53p. em http://livrosdamara.pbwiki.com/f/freire%2C%20paulo%20%20-%20conscientiza%C3%A7%C3%A3o.pdf

 

____________. A Importância do Ato de Ler: em Três Artigos que se Completam. 23ª ed. São Paulo: Autores Associados: Cortês, 1989. 49p. em http://livrosdamara.pbwiki.com/f/Paulo%20Freire%20-%20A%20import%C3%A2ncia%20do%20ato%20de%20ler%20(pdf).pdf

 

__________. A Equilibração das Estruturas Cognitivas. Problema central do desenvolvimento. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

 

GADOTTI, Moacir; ROMÃO, José E. (Orgs.) Educação de jovens e adultos: teoria, prática e proposta. São Paulo: Cortez, Instituto Paulo Freire, 2000.

 

GREGIO, Bernardete Maria Andreazza. A INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: As Representações Sociais e o Grande Desafio do Professor Frente ao Novo Paradigma Educacional - Revista Digital da CVA-Ricesu ISSN 1519-8529.Mestranda / Programa de Mestrado em Educação/UCDB.

 

GUIMARÃES Jr., Mário José Lopes. A Cibercultura e o Surgimento de Novas Formas de Sociabilidade. Trabalho apresentado no GT "Nuevos mapas culturales: Cyber espacio y tecnologia de la virtualidad", na II Reunión de Antropologia del Mercosur, Piriápolis, Uruguai, de 11 a 14 de novembro de 1997.

 

HEIDE, Ann, Guia do Professor para a Internet: completo e fácil / Ann Heide e Linda Stilborne; trad. Edson Furmankiewz.-2.ed.-Porto Alegre: Artes Médicas sul, 2000.

 

LEITE, Lígia Silva; SILVA, Christina Marília Teixeira da. A Educação a Distância Capacitando Professores: Em Busca de Novos Espaços para a Aprendizagem. Disponível em: http://www.intelecto.net/ead/ligia-cris.htm

 

LEVY, Pierre. Cibercultura.Tradução de Carlos. Irineu da Costa.— São Paulo: Ed. 34, 1999.

 

MANTOVANI, Ana Margô. Interação, colaboração e cooperação em ambiente da aprendizagem computacional – UFRGS – Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação – Oficinas Virtuais de Aprendizagem II - OFICINA DE BLOGS PEDAGÓGICOS.

 

MARCELO, C. Formación y Nuevas Tecnologías: posibilidades y condiciones de la teleformación como espacio de aprendizaje, 1999.

 

MATURANA, Humberto R. Cognição, ciência e vida cotidiana. Organização e tradução Cristina Magro, Victor Paredes. - Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001, 203p. - (Humanitas). em: http://livrosdamara.pbwiki.com/f/Humberto%20Maturana%20-%20Cogni%C3%A7%C3%A3o%2C%20Ci%C3%AAncia%20e%20Vida%20Cotidiana.pdf

 

______________________________. Emoções e linguagem na educação e na política. Trad. José Fernando Campos Fortes. - Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998. 98p. em: http://livrosdamara.pbwiki.com/f/Humberto%20Maturana%20-%20Emo%C3%A7%C3%B5es%20e%20Linguagem%20na%20Educa%C3%A7%C3%A3o%20e%20na%20P%E2%80%A6.pdf

 

MEDINA, Nelkis de la Orden. AVALIAÇÃO DO PENSAMENTO CRÍTICO EM UM CENÁ RIO DE ESCRITA COLABORATIVA – Tese de Pós-Graduação - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina. Orientador: Prof. Dr. Paulo José de Freitas Filho- Florianópolis, 2004.

 

MOECKEL, Professor Alexandre. CSCW: CONCEITOS E APLICAÇÕES PARA COOPERAÇÃO - Curso de Especialização em Gestão do Desenvolvimento de Produtos - Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná - Disciplina: Ferramentas de Trabalho Cooperativo – CEFET/PR - Ministério da Educação.

 

MORAN, José Manuel. Educar o educador. Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran/textos.htm, Acesso em: jul. 2002.

 

NITZKE, Julio A.; CARNEIRO, Mára L. F.; GELLER, Marlise; SANTAROSA, Lucila Costi. CRIAÇÃO DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM COLABORATIVA Trabalho apresentado durante o X SBIE, nov 99, Curitiba/PR -Universidade Federal do Rio Grande do Sul Pós-Graduação em Informática na Educação - Núcleo de Educação Especial.

 

PAPERT, Seymour. A Máquina das Crianças - Repensando a Escola na Era da Informática. Trad. Sandra Costa. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994. 210p.

 

PIAGET, Jean. A Epistemologia Genética e a Pesquisa Psicológica. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1974.

 

___________. A Linguagem e o pensamento da criança. Trad. Manuel Campos. São Paulo: Martins Fontes, 1986. 212p.

 

___________. A representação do mundo na criança. Rio de Janeiro: Distribuidora Record, [s.d.]

 

___________. Seis estudos de psicologia. Trad. Jordi Marfá. Editorial Labor. S. A.. Aragó. .Í90. 0801.1 Barcelona. 1991 Grupo Telepublieaeiones.203p.em: http://livrosdamara.pbwiki.com/f/Jean_Piaget_-_Seis_estudios_de_Psicologia.pdf

 

PICANÇO, Alessandra de Assis; LAGO,Andréa Ferreira; BONILLA, Maria Helena Silveira; PRETTO, Nelson De Luca; LIMA, Sidnei Alvaro de Almeida; HETKOWSKI, Tânia Maria. CONVERSANDO SOBRE INTERATIVIDADE. Grupo de Educação e Comunicação/NEPEC/FACED/UFBA.

 

PRIMO, Alex. ENFOQUES E DESFOQUES NO ESTUDO DA INTERAÇÃO MEDIADA POR COMPUTADOR. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

RAMAL, Andrea Cecília. Ler e escrever na cultura digital. Disponível em

http://www.idprojetoseducacionais.com.br/artigos/Ler_e_escrever_na_cultura_digital.pdf 

 

 

___________________. O professor do novo milênio. Disponível em:

http://www.idprojetoseducacionais.com.br/artigos/professor_proximo_milenio.pdf

 

_______________________________. Avaliar na Cibercultura. Disponível em : http://www.idprojetoseducacionais.com.br/artigos/Avaliar_na_Cibercultura.pdf

 

 

RICARTE, Ivan Marques – Relatório: Projeto SAPIENS - Interatividade- A Escrita na Internet - A relação entre novas tecnologias e os modos de produção e recepção de texto escrito - A mescla de linguagens construtiva do hipertexto. Coordenador: Léo Pini Magalhães, 2001.

 

SOUZA, Okly de & Zakabi, Rosana. Imersos na Tecnologia — e mais espertos. Revista Veja, São Paulo, 11 jan. 2005.

 

STAHL, Gerry; KOSCHMANN, Timothy; SUTHERS, Dan Suthers. Aprendizagem colaborativa com suporte computacional: Uma perspectiva histórica - Traduzido por: Hugo Fuks, Tatiana Escovedo (Português do Brasil).

 

Textos de Apoio


Sites Pesquisados 

 

- Objeto de aprendizagem sobre Projetos: http://homer.nuted.edu.ufrgs.br/instrumentalizacao_em_ead/trabalho_com_projetos/

 

- SITE TECNOLOGIA EDUCATIVA. Aprendizagem Colaborativa Assistida por Computador (CSCL - Computer Supported Collaborative Learning) (acessado em maio de 2008) http://www.minerva.uevora.pt/cscl/

 

- CONCEPÇÃO, DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE NOVA METODOLOGIA DE ENSINO APRENDIZAGEM APOIADA EM RECURSOS TECNOLÓGICOS: UM ESTUDO DE CASO http://www.abed.org.br/congresso2008/tc/59200860133PM.pdf (pesquisado em outubro/08)

 

- Aprendizagem colaborativa suportada por computador (CSCL) – em http://www.minerva.uevora.pt/cscl/ (último acesso em julho de 2008).

 

- REAL, Luciane Corte.Transformações na convivência de adolescentes, 2007. Em https://www.ead.ufrgs.br/rooda/biblioteca/abrirArquivo.php/turmas/ 10552/materiais/13004.doc (último acesso em setembro de 2009).

 

- Arquiteturas Pedagógicas para Educação a Distância: Concepções e Suporte Telemático - Versão revisada do artigo originalmente apresentado no XVI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação e publicado nos anais do simpósio. Cf. Carvalho, M. J. S., R. A. D. Nevado, et al. Arquiteturas pedagógicas para Educação a Distância: concepções e suporte telemático. Anais - XVI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, v.1, p.362-372. 2005.

 

- Teoria da Flexibilidade Cognitiva (R. Spiro, P. & R. Coulson Feltovitch) - http://tip.psychology.org/spiro.html

 

- PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS (Documento Eletrônico, p. 27, 28) em: 26/03/2010.

 

- Referenciais Curriculares Lições do Rio Grande - Volume 1. (Documento Eletrônico, p. 7) em: 26/03/2010.

 

- Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura - em: 31/03/2010.

 Listar os autores referidos no texto, conforme regras da ABTN (ver material elaborado pela Biblioteca Setorial de Educação).


 

  1. Apêndices e anexos: este tipo de material deve estar referido no texto e articulado com corpo do trabalho. Devem vir numerados e, se necessário, com títulos identificando o assunto.

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.